ATS decola e conquista grandes resultados com o programa StartOut Brasil

A ATS Aerothermal Solutions and Software Distributor combina técnicas computacionais com metodologias da engenharia tradicional para oferecer projetos únicos com resultados confiáveis e precisos, trabalhando com engenharia de produtos para a indústria aeroespacial, e com equipamentos e processos para a indústria pesada.

A startup começou em 2007 quando Guilherme Araujo Lima da Silva, CEO da empresa, estava terminando o doutorado no Departamento de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica da USP, em São Paulo. Ele e seu sócio queriam mudar de vida, se estabelecer em São Paulo e tentar algo novo.

“Eu tinha acabado de sair da Embraer, onde trabalhei por 10 anos e meu sócio tinha trabalhado 8 anos no IPT-SP. Começamos o doutorado em paralelo com o trabalho e terminamos fora das empresas devido a dedicação exigida. Foi então que decidimos abrir a ATS. Em 2010, após a junção de Francisco Domingues Alves de Sousa, nome reconhecido na área de combustão industrial no Brasil, a Metacomp Technolgies (USA) nos nomeou sua distribuidora no país e passamos a comercializar o software CFD++ usado pela Embraer”, comenta Silva.

A partir de então, a ATS decolou. Em 2012 se tornou representante da Tecplot Inc. (USA) no Brasil, que também é usada pela Embraer. Em 2015, a startup passou a ser fornecedora de software de otimização do Nexus. No ano seguinte, teve mais uma conquista: se tornou distribuidora do software Ennova, gerador de malha muito inovador e com tremenda rapidez.

“Todos esses resultados se deram porque podemos fornecer soluções completas ao mercado em tempo recorde e custo competitivo. Geralmente no mercado você tem empresas de engenharia tradicionais que não usam simulação ou empresas de simulação que não entendem de engenharia, pois nunca projetaram nada físico – térmico, fluido ou mecânico. Nós trabalhamos com projetos somente de simulação, mas também realizamos testes físicos de equipamentos ou de qualificação e certificação de aeronaves”, afirma o CEO da startup.

Mesmo depois de todas essas conquistas, a startup não estava satisfeita. Queria alcançar voos maiores. Por isso, em 2018 se inscreveu para o StartOut Brasil ciclo Miami. A experiência gerou muitos benefícios para a empresa. O programa permitiu ampliar os horizontes, definir a estratégia, organizar e melhorar a comunicação da empresa. Além disso, ajudou no complexo processo de vendas da solução B2B.

De acordo com o empreendedor, quando fez a inscrição no programa seu objetivo era a capacitação de recursos humanos e de melhoria da empresa e de seus processos inicial, o que foi facilmente alcançado. “Quando fiz a nossa inscrição nem sabia direito do que se tratava em detalhes. Via apenas como oportunidade de crescimento para a empresa e para os sócios. Levei um choque quando descobri que um dos objetivos principais era obter recursos de investidores anjo. Eu nem pensava em investimento na época”, ressalta.

Hoje, com mais de 15 clientes de renome em seu portfólio, a empresa quer conquistar uma receita recorrente, seja por serviço de engenharia, pela expansão da venda de software ou pelo desenvolvimento de um produto (software) escalável. Para isso, ainda conta com o StartOut Brasil.

“Recentemente fomos escolhidos para participar da missão Boston do StartOut Brasil, por isso de 22 a 27 de setembro faremos uma imersão nesse ecossistema. Esperamos aproveitar as consultorias, acesso aos mentores e um matchmaking mais voltado para o mercado aeroespacial americano. O StartOut é uma oportunidade incrível para pensar a internacionalização da empresa e para propor ideias disruptivas para análise de investidores e do mercado”, finaliza Silva.

2019-09-13T17:09:07+00:00