Sistemas de gestão ajudam a evitar colapso na rede de saúde brasileira

Para evitar que o sistema de saúde entre em colapso por causa do novo coronavírus, startups que se internacionalizaram por meio do StartOut Brasil criaram Sistemas de Gestão capazes de prever a evolução do número de casos da doença, fornecer dados atualizados e estatísticas comparativas para contenção da pandemia, entre outras informações. 

A Bright Cities, participante da missão Boston em 2018, por exemplo, realizou um levantamento inédito sobre o número de leitos disponíveis nos 5.570 municípios brasileiros. O estudo cruzou a capacidade dos hospitais de receber pacientes para internação em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) com a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) de que os países garantam de um a três leitos disponíveis para cada 10 mil habitantes. 

Este estudo demonstrou que apenas 10% das cidades brasileiras oferecem pelo menos um leito de UTI dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) para cada 10 mil habitantes. Quando somados aos leitos de instituições privadas de saúde, o número sobe para 12,6%, mas permanece muito aquém da necessidade.

Com essa mesma preocupação, a Aerothermal Solutions, que participou do ciclo Boston em 2018, desenvolveu um modelo matemático capaz de determinar, entre outros dados, o período entre a pessoa estar infectada e se recuperar, estimar a quantidade de leitos de enfermaria e de UTI que serão utilizados a cada dia na rede de tratamento da doença, e ainda prever o número de mortes e novas contaminações.

A proposta tão eficiente que foi incorporada pela ferramenta elaborada pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para ajudar o Estado de São Paulo no controle da doença. Este mecanismo contempla dados preditivos de infectados, recuperados, óbitos, leitos utilizados e ventiladores requisitados por município com base na combinação de informações fornecidas por fontes oficiais, como DATASUS, Censo Covid19, Brasil.io e SRAGHOSPITALIZADO.

Se utilizados em conjunto, estas duas iniciativas serão extremamente benéficas para a sociedade, pois mostrarão exatamente quais os investimentos mais urgentes que devem ser feitos na sociedade. O Estado de São Paulo, por exemplo, que já conta com a ferramenta, conseguiu flexibilizar as medidas de prevenção do novo coronavírus.

2020-06-12T10:17:18+00:00