STARTOUT BRASIL ANUNCIA DESTINOS DE 2019

 

 

 

 

 

 

 

 

Em 2019, o StartOut Brasil contará com quatro missões: Santiago (Chile), Toronto (Canadá), Londres (Inglaterra) e Xangai (China).

Cada um com sua particularidade, os destinos foram escolhidos por serem portas de entrada para negócios no continente em que está inserido; abrigarem grandes investidores; estarem entre os melhores ecossistemas de startups do mundo; possuírem diversas incubadoras e aceleradoras; e representarem os principais centros financeiros do planeta.

Até 20 startups poderão participar de cada um dos ciclos, sendo 15 vagas reservadas às que nunca tiveram essa oportunidade ou que estiveram em apenas uma edição, e até cinco vagas para as graduadas, ou seja, startups que já estiveram em dois ou mais programas.

Conheça um pouco mais sobre os locais de imersão:

Santiago

Competitivo e com uma economia aberta e estável, o mercado chileno conta com a presença de grandes multinacionais, o que favorece parcerias B2B com grandes players mundiais. A região, considerada uma das mais estáveis e prósperas da região em termos de competitividade, custo de vida, renda per capita, internacionalização e liberdade econômica, está aberta a empreendedores estrangeiros.

De acordo com o Governo Chileno, mais de 250 mil novos negócios foram abertos no país graças à redução da burocracia local e uma nova lei que permitiu o registro online de empresas em apenas um dia.

Atualmente, Santiago possui entre 500 e 700 startups ativas nos setores de agroindústria, mineração, soluções para serviços bancários e cybersecurity, energia solar, tecnologia e saúde, economia circular (resíduos e reciclagem), sistemas de alertas para catástrofes naturais, sistemas de medição de poluição, serviços de atenção ao cliente, biotecnologia, entre outros.

Além disso, o Chile é o líder do Global Entrepreneurship Index – América Latina e está determinado a se manter no topo do ranking por meio de benefícios para empresas estrangeiras que desejam se instalar no país.

Toronto

Um dos 20 melhores ecossistemas de startups do mundo, com cerca de 4 mil startups, Toronto abriga mais de 60 incubadoras de negócios, entre elas a MaRS, maior hub de inovação do mundo. Vizinho da potência americana, o Canadá disponibiliza apoio governamental para empreendedores brasileiros e conta com impostos 46% mais baixo do que os EUA.

Quem vai empreender no Canadá pode tirar um visto específico para startups. Elas iniciam o processo com uma empresa de visto no Brasil e depois passam pelo consulado canadense. Para ter seu visto aprovado, os empreendedores precisam ter negócios inovadores, contribuir para a economia local e também competir em escala global. Além disso, o país não oferece muitas barreiras burocráticas para os empreendedores, que podem tirar um visto específico para startups.

Segundo o relatório do Startup Genome de 2018, entre os setores mais fortes de Toronto estão Fintech, Inteligência Artificial, Analytics, Life Sciences e Saúde, Manufatura avançada e Robótica. Para os investidores, os negócios que mais chamam a atenção são aqueles com potencial de expansão global, inovadores e que estejam ligados a inteligência artificial, blockchain e economia criativa.

Londres

Um dos centros financeiros e culturais mais importantes do mundo, Londres também está entre os principais ecossistemas de startups. A região, conhecida como Silicon Roundabout, concentra sedes de mais de 100 das 500 maiores empresas da Europa, como Google, Cisco e Facebook, além de startups, aceleradoras e espaços de coworking. Por esse motivo, o local pode acrescentar clientes de peso ao portfólio das startups e possibilitar o recebimento de investimentos.

O país também abriga 205 incubadoras e 163 aceleradoras, e apoia cerca de 3.500 startups todos os anos, com investimento estimado de 33 milhões de libras. Além disso, recentemente o Ministro da Economia Britânica, Philip Hammond, anunciou que vai formar um grupo de peritos em criptomoedas para que novas startups sejam criadas a cada trinta minutos e possam adaptar-se mais rapidamente ao ecossistema. Sendo assim, é esperado que as Fintechs se transformem em um dos principais motores do crescimento de Londres.

Em relação a carga tributária, o Reino Unido possui taxas mais baixas do que o Brasil. E ainda é possível deduzir do imposto de renda de pessoa física ou jurídica entre 600 mil e 6 milhões de reais, caso o declarante prefira investir em startups.

Xangai

A segunda maior cidade do mundo (com aproximadamente 24 milhões de habitantes) e um dos principais centros financeiros do planeta, Xangai agora está atraindo a atenção por seu ecossistema de startups. Com um forte apoio governamental o número de unicórnios aumentou de 14% em 2014 para 35% em 2018 na cidade. Apenas em 2017, 15 startups tiveram seu preço de mercado avaliado em mais de 1 bilhão de dólares.

Além disso, a China vem ganhando cada vez mais força tecnológica nos últimos anos. De acordo com a CB Insights, uma empresa de pesquisa que acompanha o capital de risco, ano passado as startups chinesas receberam quase metade dos dólares levantados globalmente para inteligência artificial.

Mas as Fintechs também estão em destaque no país. Entre 2012 e 2017, pouco mais de 25% de todo investimento foi para este setor. Outro fato importante sobre a região é que nela está situada a Chinaccelerator, um grande coworking.

 

2018-12-03T15:23:04+00:00