Veja quais são os novos hubs de inovação mundiais

Hubs de Inovação são espaços voltados para a geração de negócios que reúnem startups, médias e grandes empresas e potenciais investidores. Eles ajudam na estruturação de empresas nascentes de base tecnológica com alto potencial de crescimento e no aumento do número de pessoas que têm a oportunidade de ser um empreendedor.

De acordo com o Global Startup Ecosystem Report 2019, a região do Vale do Silício (Estados Unidos) continua sendo o melhor ecossistema do mundo para abrir uma startup. Porém, outras 30 regiões vêm se destacando e se mostram bastante promissoras aos empreendedores:

Estados Unidos

O país norte-americano é o que mais possui hubs de inovação, sendo eles situados em Nova York, Boston, Los Angeles, Seattle, Austin, Chicago, Washington, San Diego, Denver-Boulder, Atlanta e Miami. Destes polos, o StartOut Brasil já levou startups para uma imersão em Miami e Boston, mercados propícios para comércio, logística, serviços financeiros e de mídia e também para biotechs.

China

A segunda região com o maior número de promissores hubs para o empreendedorismo é a China. O país tem avançado no ranking global de inovação devido ao crescente investimento do governo em políticas públicas para incentivar o empreendedorismo.

Atualmente, a província é líder mundial em pagamentos digitais e o segundo país que mais investe em inteligência artificial. Em dezembro, o StartOut levará mais de 15 startups para conhecer o ecossistema de Xangai. Contudo, os empreendedores que desejarem se inserir em um ambiente de inovação chinês também podem fazer uma imersão em Beijing ou Hong Kong.

Suíça

Que a Suíça é conhecida por ser o berço de grandes bancos não é novidade. Foi esse fator que transformou a região em um grande centro para fintechs, principalmente nas cidades de Lausanne, Berna e Genebra. No Crypto Valley, empresas de criptomoedas e blockchain se reúnem para trocar experiência e apresentar seus negócios a possíveis parceiros e investidores.

Alemanha

Na Alemanha também há dois polos de inovação: Berlim e Munich. Nestes destinos, o foco está em fintechs e startups que desenvolvem tecnologias de IoT (internet das coisas), indústria 4.0 ou segurança cibernética (cyber security) que possam auxiliar na construção de cidades inteligentes.

Canadá

Sede de empresas como Microsoft, Amazon e Hootsuite, o Canadá foi apelidado de Silicon Valley North. Com uma economia estável e as alíquotas de impostos mais baixas da América do Norte, o país tem se mostrado aberto às startups, principalmente em Vancouver e Toronto. Mas, como a região ainda quer se tornar líder em pesquisa e desenvolvimento, as áreas que são mais atraentes para ela são deep learning, machine learning, redes neurais e natural language processing.

Outros Hubs de Inovação

Se a sua startup não é de nenhuma dessas áreas, também pode buscar a internacionalização em outros polos de empreendedorismo, como Londres (Reino Unido), Tel Aviv (Israel), Paris (França), Estocolmo (Suécia), Amsterdam (Países Baixos), Bangalore (Índia), Sidney (Austrália), Barcelona (Espanha) e Dublin (Irlanda).

2019-10-23T18:28:08+00:00